engIobra / Máquinas e Equipamentos / O Que É Um Martelo Pneumático?

O Que É Um Martelo Pneumático?

Um martelo pneumático, também conhecido como britadeira, martelete ou rompedor, é uma boa escolha para aqueles que passam horas e horas a demolir concreto, pedra e asfalto, em obras de construção civil, onde o trabalho parece nunca terminar, é naquelas situações em que os ponteiros do relógio se movem, mas o trabalho continua a não avançar. O martelo pneumático, é portanto a escolha preferida dos profissionais que fazem constantes trabalhos de demolição, isto porque este tipo de máquina tem um nível de eficácia bastante elevado e requer poucos custos de gestão, bem como de operação.

Martelo pneumático

Vantagens do Martelo Pneumático

Uuma broca de ar comprimido funciona apenas com ar comprimido, este factor tem várias vantagens quando comparada com uma elétrica.

Martelo pneumático em demolição

Menos peso

Uma broca de ar comprimido é mais leve porque tem menos peças, o que se reflecte inevitavelmente no seu peso total. A massa de peso de uma broca elétrica vem do motor DC, o qual é pesado já que existe a necessidade de produzir altas velocidades e torque. Se remover o motor DC de uma broca de ar comprimido, tudo o que lhe resta é o revestimento, cabeça e tubos de ar.

Produtividade aumentada

Já imaginou a tentar fazer trabalhos de perfuração ou demolição com uma broca que parece pesar uma tonelada? Depois de alguns minutos será rapidamente afetado pela fadiga, isto é o que acontece ás pessoas que ainda utilizam a broca elétrica. Com a broca de ar comprimido não terá esse tipo de problemas, dominar uma broca mais leve irá sempre levar a menos fadiga e este fator por si só já contribui bastante para o aumento da produtividade. Com a utilização do martelo pneumático, consegue longas e constantes demolições e tem mais trabalho feito num menor período de tempo. O resultado final é maior produtividade, excelente desempenho, e menor esforço.

Menor custo de operação

Um martelo pneumático obviamente não utiliza eletricidade. Embora tecnicamente, a eletricidade (ou gás) ainda seja precisa para operar o compressor que gere a ferramenta, custa menos porque um compressor apenas usa energia para encher o tanque. O que significa que a quantidade de electricidade utilizada é muito menor quando comparada com a energia consumida por uma broca eletrica, o que em outras palavras se traduz num menor custo de operação, e por conseguinte, uma maior poupança.

Menor custo de gestão

Quando comparamos uma broca de ar comprimido com uma broca elétrica, uma das primeiras coisas que vamos identificar é a menor quantidade de peças na broca de ar comprimido. Este fato que á primeira vista parece irrelevante, ou de pouca importância, tem um impacto bastante positivo no que toca á diminuição dos custos de gestão. Já que a broca de ar comprimido tem uma quantidade de peças menor, estatísticamente falando, existem menos probabilidades de uma das poucas peças que possui se virem a quebrar, o que significa um menor custo de gestão, já que a substituição e reparação de peças não será tão frequente. Por outro lado, uma broca elétrica usa um motor elétrico, o qual irá inevitavelmente necessitar de serviços ou rebobinagem. Neste aspecto, a broca de ar comprimido leva a melhor mais uma vez, para uma broca de ar, o único custo de manutenção que necessita é a colocação regular de óleo, algo relativamente prático e barato.

Designs ergonómicos

Uma vez que a “anatomia” de um martelo pneumático faz com que este se torne mais leve e possua muito menos peças, isto deixa algum espaço de manobra aos fabricantes, porque terão a oportunidade de (re)desenhar a broca de ar comprimido, não só ao nível do design, mas também ao nível de eficácia de forma a facilitar a sua portabilidade e uso. Podem fazê-la mais leve e fácil de dominar, e podem fazê-la mais pequena e uso não-convencional mas mais formatos mais confortáveis – os quais adicionam uma utilização fácil, o que acaba por beneficiar sempre o utilizador.

Como Utilizar um Martelo Pneumático

Precisa de orçamento para fazer obras em casa?

Licenciado em Engenharia Civil, desde 2004, pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Membro sénior da Ordem do Engenheiros. Conta com mais de 10 anos de experiência como projetista de estruturas, sistemas prediais de distribuição e drenagem de águas, redes de distribuição de gás natural, direcção e fiscalização de obras públicas e privadas.