Angola atribui mais obras a empresas portuguesas

Angola é um dos países que tem crescido imenso a nível de construção civil e anualmente são gastos milhões de euros na construção e reabilitação de estradas, prédios e áreas urbanas através de obras públicas.

No entanto, os angolanos têm reconhecido imenso a qualidade dos portugueses no que concerne a arte da construção civil, e isso levou à consignação de 3 obras públicas em Angola a empresas de origem portuguesa (as mesmas estão avaliadas em 264 milhões de euros).

Atribuição de obras públicas angolanas a empresas portuguesas

A INEA (Instituto Nacional de Estradas de Angola) consignou 3 dos seus 4 projetos a empresas portuguesas, sendo que o 4º projeto foi atribuído à empresa chinesa CR20.

As obras públicas angolanas atribuídas às empresas portuguesas, têm como principal intuito melhorar a mobilidade rodoviária das zonas norte, noroeste e nordeste de Luanda, facilitando assim os acessos ao Novo Aeroporto Internacional de Luanda, aumentando a segurança e qualidade das suas estradas.

É importante salientar, que esta consignação é em parte realizada de forma a dar continuidade à execução dos Programas de Investimentos Públicos, no âmbito da Linha de Crédito Angola – Portugal.

Em 2015, o valor de transações entre Angola e Portugal foi de aproximadamente 176 milhões de euros, e permitiu vendas de mais de 720 milhões.

O Linha de Crédito Angola – Portugal nasceu em 2008, como forma de minimizar os efeitos da crise económica e financeira e apoiar a internacionalização de mãos de 735 empresas, das quais 91% são PME.

Principais obras públicas a realizar por empresas portuguesas em Angola

As 3 obras públicas aprovadas e consignadas a empresas portuguesas ascendem no seu total ao valor de 264 milhões de Euros. No entanto, de forma simples as obras foram entregues às seguintes empresas:

  • Telhabel Construções – Uma obra que ronda os 73.927.447,79€ e tem como principal intuito a construção de infraestruturas na zona da Boavista, acessos ao porto de Luanda, construção da estrada Sonils e a duplicação da ponte sobre o rio Soroca;
  • Omatapalo Engenharia e Construção – Uma obra que ronda os 12.181.583,91€ e prevê a construção de diversas infraestruturas nomeadamente a ligação Sonils – Via Expressa – Kifangondo.
  • Mota-Engil África – Uma obra que ronda os 178.014.975,18€ e que tem como principal intuito a reabilitação da estrada Via Expressa – Camama – Avenida Pedro de Castro – Van-Dúnem Loy, inclui trabalhos de micro e macro drenagem, bem como a elevação de uma rotunda.

Estes são valores bastante interessantes, e que demonstram que as parcerias com apoio à internacionalização das empresas são um fator económico imprescindível para Portugal.

Deixe uma Resposta.